COMO EVITAR O CHOQUE ELÉTRICO

A importância do dispositivo IDR

IDR

A intensidade máxima de corrente elétrica que um ser humano pode suportar é de 30mA, ou seja 0,03A ([A] Ampere é a unidade de medida de corrente elétrica).

Considerando que um liquidificador possui uma corrente de aproximadamente 1,2A e uma tomada simples perto de 10A, qualquer equipamento ou parte de uma instalação elétrica pode oferecer grande risco.

Para evitar que o choque elétrico cause danos as pessoas, existe um dispositivo chamado IDR (Interruptor Diferencial Residual) que tem a função de desligar automaticamente o circuito caso exista uma corrente de fuga que ultrapasse 30mA, como no caso do choque elétrico.

Em caso de choque elétrico o dispositivo IDR desliga o circuito, cortando a alimentação de energia e protegendo assim a vida das pessoas.

As instalações elétricas devem ser projetadas e executadas por profissionais devidamente habilitados e qualificados, bem como receber a devida manutenção preventiva. Estas medidas evitam os acidentes como choques elétricos e incêndios, reduzem o consumo de energia e garantem o correto funcionamento e maior vida útil dos equipamentos.

Obra pública: por que custa mais caro?

Corrupção, propina, desvio de verbas, fraude em licitações, vantagens indevidas em obra pública.

obra pública

Muito provavelmente você pensou em das justificativas acima, senão todas, para a resposta a essa pergunta. Qualquer atividade que esteja envolvida em situações como estas certamente terá seu custo total muito superior ao adequado e por isso este cenário não é o foco deste texto, além destas situações não serem exclusividade das obras públicas.

Mas então qual a justificativa para obras públicas custarem mais caro? Basicamente dois fatores são os de maior relevância: a base de comparação e o perfil das obras públicas. Estes dois se confundem e muitas vezes um potencializa o outro.

Tomemos como exemplo as obras de infraestrutura urbana, que tem grande impacto na vida das pessoas. Estas obras sofrem uma grande influência do interesse político, pois os administradores públicos querem ter seus nomes associados à obtenção da verba para a obra, a assinatura da ordem de serviço, ao início da obra e principalmente e conclusão e inauguração da obra.

Tudo isso para associarem sua imagem a um evento positivo para a comunidade e assim poderem usar este fator nas próximas campanhas eleitorais. Na verdade esse motivo por si só não seria problema, desde que mantida a prioridade nos fatores técnicos. Mas exatamente aí que o problema ocorre, pois os interesses políticos se sobrepõem muito aos fatores técnicos e então temos situações como: verba insuficiente para todo o projeto; licitação realizada apenas com projeto básico sem os devidos estudos de topografia, solo, desapropriações, licenciamentos, movimentos de terra, etc; orçamento preliminar falho devido à falta de detalhes do projeto; embargos e paralisações causados por opositores políticos; alterações no projeto e no escopo da licitação para atender prazos e regiões de interesse político, entre outras.

Desta forma, a base de comparação para avaliar o custo da obra que usualmente é o valor da licitação, é uma base falha e não serve como parâmetro visto a legislação permitir uma licitação sem um estudo aprofundado e aditivo de até 25%.

Outro tipo de obra que também sofre comparação de custo são as obras prediais para imóveis públicos. Estas estão sujeitas ao mesmo cenário acima exposto, no entanto a comparação costuma ser com o mercado imobiliário privado, um clássico erro de método de avaliação por desconhecimento do mercado, da norma de avaliação e do perfil dos imóveis do setor público.

No interesse privado predomina o fator desejabilidade econômica na avaliação, ou seja, qual o lucro obtido com o imóvel frente ao custo para sua construção. Já para o interesse público predominam os fatores relativos à utilidade pública, a localização e a arquitetura.

As obras públicas exigem projetos especialíssimos, processos de execução e materiais não convencionais, sendo obras atípicas e geralmente são de arquitetos renomados para que sejam atendidas as exigências do interesse público, da vanguarda, da beleza, do nacionalismo e tantos outros particulares que fazem parte da essência desses monumentais empreendimentos.

A metodologia avaliatória normalizada envolvendo bem imóveis públicos deve merecer tratamento diferenciado com as devidas adaptações para contemplar as extravagâncias, os imprevistos e o lucro do construtor.

Assim, as obras públicas e o mercado da construção civil não merecem o estigma provocado pela condução inapropriada de alguns, na verdade ajudam a evidenciar a latente necessidade de modernização e adequação da legislação vigente visando a proteção dos recursos públicos e melhoria na qualidade de vida da população.

Como construir sua casa dos sonhos em 5 etapas e sem risco

como construir sua casa

Quando você pensa em construir sua casa logo vem a mente aquela quantidade enorme de problemas como: contratar arquiteto, engenheiro, pedreiro, eletricista, encanador, comprar material de construção, obter as licenças para construir, registro em cartório, gasto maior que o previsto, atraso e muito mais, certo? Mas não precisa ser assim se seguir alguns passos bem simples.

Basicamente essa percepção de um quase caos acontece devido a um início mal estruturado e assim todo o restante sofre as consequências. A construção da casa dos seus sonhos não precisa ser um pesadelo e para evitar todos estes problemas basta seguir 5 etapas:

Defina sua casa dos sonhos

Estabeleça três níveis e para cada um deles detalhe tudo que sua casa deve conter, sendo:

  1. no mínimo deve possuir isso: com os requisitos mínimos que de forma alguma você abre mão;
  2. seria muito bom se também tivesse: com itens complementares ao anterior, mas que ficaria muito feliz caso sua casa tivesse;
  3. mais que um sonho: com os itens mais que especiais, onde além dos anteriores seria simplesmente fabuloso que sua casa tivesse.

Com esses três detalhamentos bem especificados, será possível desenvolver os projetos com foco total nos seus desejos e necessidades sem o risco de esquecer algo importante ou gastar tempo e dinheiro com algo que não precisaria.

Defina um orçamento e data para conclusão

Esses parâmetros servirão como um farol para o navio, onde será possível sempre avaliar se as metas estão sendo seguidas e os desvios podem ser rapidamente identificados e ajustados.

Importante destacar dois fatores neste item:

  • o primeiro é que a urgência custa caro, assim como a demora excessiva. Avalie sua real necessidade para desenvolver a construção por completo, paralisações causam enormes prejuízos, assim como a pressa, pois deixa de selecionar os melhores profissionais e fornecedores, e as melhores condições de compra dos materiais, ficando refém apenas de quem consegue lhe atender;
  • um orçamento prévio é fundamental, pois servirá de parâmetro para todos os gastos da obra. Não definir um orçamento achando que basta “cuidar” é um erro fatal, como navegar as cegas e achar que vai chegar ao seu destino. Ao final, quando notar que não teve sucesso, além de não saber onde foi o erro não terá fôlego para terminar a jornada.

Escolha um especialista logo no início

Com as etapas anteriores concluídas, busque a assessoria profissional qualificada para desenvolver os projetos necessários a construção da sua casa, de forma que atendam tudo que você definiu anteriormente.

Nesta etapa é muito importante buscar um profissional ou uma equipe que possua experiência na execução de todo o processo, para antecipar as necessidades e auxiliar na etapa da construção.

Mãos à obra

Dedique tempo para escolher os profissionais que farão a construção. Peça referências, visite obras em andamento, e principalmente obras com mais de 3 anos de finalizadas. Assim poderá avaliar como esses profissionais organizam a obra, cuidam dos seus materiais, se dominam as técnicas de construção de forma e evitar problemas futuros.

Muito importante exigir que todos os profissionais sejam devidamente registrados, que haja profissional qualificado e legalmente habilitado e que a empresa possua o devido registro.

Como dono da obra e contratante, sem esses cuidados poderá ter grande dor de cabeça com acidentes de trabalho e causas trabalhistas por exemplo.

Encerre com maestria

Terminada a construção, faça um recebimento minucioso da obra. Alguns itens possuem garantia somente no momento da entrega. Exija o “as built” de todos os projetos (versão final com modificações realizadas, caso houver), o Manual do Proprietário, notas fiscais e garantias de equipamentos, materiais e serviço e o Termo de Garantia do construtor.

 

Com um pouco de organização e algumas metas bem definidas, aliados a uma assessoria técnica adequada, a construção da sua casa dos sonhos se tornará uma belíssima realidade.